Junho de 2020:

 

Brasil ultrapassa Reino Unido e é o segundo país com mais mortes por COVID-19 (UOL); Terra Yanomami completa um mês sob ataques de garimpeiros e sem proteção do Estado (SOCIO AMBIENTAL); Focos de queimadas na Amazônia em junho foram os maiores para o mês nos últimos 13 anos, diz INPE (G1); Desemprego cresce 26% entre maio e junho (CORREIO BRAZILIENSE); A onda de indignação contra o racismo se espalha por todo o mundo (EL PAÍS); Caso George Floyd desencadeia protestos em pelo menos 140 cidades nos EUA (CNN); Caso Miguel: morte de menino no Recife mostra 'como supremacia branca funciona no Brasil' (ANDI); Cidades registram protestos em apoio à democracia e contra o racismo (G1); 'Não tem mais mundo pra todo mundo' (APUBLICA); Estátua da 1a. esposa de Napoleão é derrubada em protesto na Martinica (ANA); Mais uma estátua de Cristovão Colombo é derrubada por manifestantes nos EUA (CNN); Cidade da Bélgica retira estátua de polêmico rei, após protestos antirrcistas (G1); Um monumento para os resistentes ao colonialismo, e não para os escravocratas (ANA); Alt-right demoniza antifas para criar inimigo fantasioso (FOLHA); Nas ruas, povo reafirma luta pela vida, contra o fascismo e o racismo (CUT); Borba Gato deve cair (GELEDES); O que fazer com as estátuas e os monumentos coloniais? (REVISTA ROSA).

Como elaborar tantos traumas? O que rememorar? O que significa assistir um homem negro ser assassinado por um homem branco ajoelhado em seu pescoço e ao sair às ruas se deparar com estátuas de escravocratas? Como romper com tantos ressentimentos sem utilizar a gramática colonial? Destruir monumentos basta para eliminar os fantasmas? Esquecer? Quais narrativas produzir?

Intervenções realizadas na paisagem urbana da Grande São Paulo entre os meses de agosto de 2020 e março de 2021.